segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Oh, achas que sim?!

Eu tento estar bem disposta e o sentido de humor é só uma das muitas coisas que tenho para agradecer à vida. Podia dar uma de modesta e dizer "ah não sei se tenho sentido de humor apurado ou não", mas a verdade é que as ideias para pôr as pessoas a rir me surgem tão naturalmente que não posso dizer que o sentido de humor não seja uma coisa que não me assiste. Além disso, os meus pais já me confirmaram :P
E falo disto porque se não fosse este humor não sei como seria, porque por vezes sou acometida/inundada de dúvidas sobre tudo e mais alguma coisa e isso paralisa-me e não me deixa decidir seja o que for. Tenho momentos de grande ansiedade, não, é mesmo pânico, que a muito custo controlo e nesses momentos surgem-me as ideias mais estranhas como se fosse possível perder o controlo e fazer as coisas mais absurdas. Exemplos: "e se agora chegasse ao pé do chefe e lhe puxasse os cabelos?", "e se agora tirasse a roupa toda?", "e se agora começasse a dizer palavrões no meio da reunião?". Sabem quando uma pessoa está diante dum sitio muito alto ou em frente a um autocarro a passar e parece tão fácil dar aquele passinho? Não sabem? Pronto, então ainda bem, continuem assim!! O instinto de sobrevivência não deixa, eu sei, e eu não tenho qualquer desejo de ir embora deste mundo cruel :p, mas por momentos tudo parece possível.
Eu própria quando conto isto aos amigos me rio. E eles também me ouvem com um sorriso contido, tentam não se rir, mas é difícil...lol. E sei que o segredo para isto deixar de me massacrar vai passar pelo humor, sei que quando tiver estes pensamentos e me rir deles, estarei free as a bird, mas até lá... e daí ter começado por falar no sentido de humor.
Nem sei como tive coragem de vir aqui escrever isto, mas hoje está a ser um daqueles dias. Vá, podem vir gozar comigo, ok?! :p. Ou contar coisas do género para não me sentir tão sozinha e abandonada... humpf :p.

11 comentários:

  1. Não estás sózinha, nem abandonada:) e sentido de humor tens de certeza, caso contrário, eu não estaria p'r'áqui a rir-me sózinha por tua causa. Já me imaginei a esganar uma pessoa que tinha à minha frente, em segundos regressei à realidade e percebi que não...ainda estava a ouvi-la!
    Calma, inspira, expira, inspira, expira...isso...agora mais 500 vezes:)

    jinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela companhia... eheheheh... ainda bem que esses pensamentos não se concretizam, senão... ui ui. Hoje 500 vezes não chegam, acho que vou para a cama a dizer "inspira... expira". Beijinhooooos

      Eliminar
  2. Tristezas não pagam dividas, portanto leva a vida com sentido de humor :)

    Epah, quando tirares a roupa avisa, porque quero assistir :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, há locais onde podes enlouquecer à vontade ahahahahah

      Eliminar
    2. lololol... ok, eu faço-o em Coimbra, ok?! :)

      Quais, tipo Sobral Cid?

      Eliminar
    3. Ehhh láaa..conheces Coimbra...mas falava...no quarto, por exemplo...LOL

      Eliminar
    4. Aaaaaaaaaaaaaah, muito melhor sugestão que o Sobral Cid... :))

      Eliminar
  3. Percebo tao bem o que dizes, que nem imaginas o quanto...;) e nao penses que é maluquice porque há tanta gente com cenas assim, mas têm vergonha de admitir! Eu admito que há cenas maradas que tb me passam pela cabeça, tirando as partes do autocarro!=P muaaaahhhhh*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Temos que admitir que não é fácil admitir cenas malucas, mas se calhar quase toda a gente as tem, só não admitem, com vergonha, como dizes. **************

      Eliminar
  4. Olhe tenho-lhe a dizer o seguinte: Foi uma sorte vir aqui hoje ao seu cantinho pela primeira vez e ter encontrado este seu post. É que a mim acontece-me o mesmo tantas vezes! E mais, eu ainda consigo ser um bocadinho pior: Está a ver a situação em que pais levam as suas crianças barulhentas? Pois eu começo por pensar: "E se agora eu fosse ao pé da criancinha e lhe aplicasse uma palmadinha bem acente, como é que o pai reagiria?" É claro que sei o resultado que resultaria dessa minha actuação, mas acredite, é doentio... Às vezes e quando passo por alguém, ponho-me a pensar: "E se lhe fizesse isto e aquilo?". Quando alguém faz jogging: "E se lhe passasse uma rasteira?" Acredite, valeu a pena lê-la, sinto-me muito mais compreendida. E a propósito, o seu blogue é o máximo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por ter gostado do que leu :)) Escrevi para desabafar mas também porque acredito que muitas pessoas têm estes pensamentos e não queremos contar a ninguém, temos alguma vergonha, eu própria não o conto a quem não tenho absoluta confiança, aqui é mais fácil :p. São apenas pensamentos, é verdade, e nós sabemos que não vamos fazer nada mas às vezes têm a capacidade de nos desestabilizar, mas depois passa.

      Obrigada e apareça sempre:)) Beijinhos

      Eliminar